Arquivos de Tag: Festa

Festa tema Viagem: sou cidadão do mundo

Oi!

Este ano comemoramos 75 aninhos bem vividos do meu sogrinho. Festa caseira com o tema “Viagem: sou cidadão do mundo” pra cerca de 40 pessoas, bem organizada pela sogrinha e com muitas atrações artísticas familiares (na minha família só tem artista de plantão hehehe).

Escolhi o tema pensando no modelo do bolo, acredita? Haviam 3 possibilidades: boteco, cinema e viagem (coisas que têm tudo a ver com ele). Aí procurei inspirações no Pinterest e decidimos pelo tema Viagem porque ficaria mais fácil (e barato!) de arrumar a mesa principal com as lembrancinhas de viagem que ele possui. Não queríamos gastar com decoração, então combinei com a sogrinha de que itens precisaria (globo, malas retrô, aviões, porta-retratos e mapa mundi) e fomos buscar junto à família. Felizmente ter uma irmã fotógrafa tem mais de uma utilidade e os objetos retrô peguei diretamente no estúdio dela. O cordão luminoso, pratos de bolo, vasos de flores e um dos aparadores são meus. E assim conseguimos todos os itens decorativos.

O mapa mundi era pra colocar de fundo e alfinetar todos os lugares por onde meu sogro viajou (haja alfinetes), cobrir o tampo do aparador que usei como mesa e também fazer bandeirolas. Optamos por arrumar a mesa ao ar livre pra inaugurar o caramanchão feito pelo sogrinho e dar ainda mais pessoalidade à festa.

festa viagem

Para padronagem, pensei em itens simples: tic-tacs (que meu sogro amaaaaaaa) em forma de passaporte, plaquinhas indicativas de lugares por onde já passou e placa “Hey, sou cidadão do mundo”. Afinal, festa de adulto não pede muita personalização. Fica mais chique assim.

Imprimi tudo em casa com papel fotográfico. Os passaportes tirei de foto na internet e copiei/colei no Word. Medi a caixinha de balinhas e fomatei a imagem do passaporte no tamanho ideal. Aí repliquei a imagem de forma a caber o máximo numa folha A4. Pronto! Sem segredo! Qualquer um faz!

festa viagem

festa viagem

O bolo mega-lindo-extra-power-de-perfeito e os cupcakes foram feitos pela minha amiga Vivi Costa, a mesma que também tinha feito o bolo pro meu Chá da Primavera. Lembra? Veja AQUI.  Pedi somente que fosse em formato de mala e que, se possível, tivesse emblemas de alguns países. Aí ela me apareceu com esse escândalo de bolo e cupcakes personalizados. Amei! O bolo foi, de fato, o centro da decoração.

bolo festa viagem

Os doces foram feitos por mim e minha filha. Confeiteira da família tem que servir pra alguma coisa, né? Pensei em fazer somente docinhos finos, sem chocolates mega personalizados porque, afinal, 75 anos requerem respeito. kkk As tortinhas de limão (receita AQUI) ficaram um charme em meio às flores. Fiz também brigadeiro de pistache, zabaione e romeu e julieta, além dos meus queridos macarons. Ah, note nas bandeirinhas dos docinhos. Aproveitei aquelas bandeiras indicativas dos países que ficam em baixo no mapa mundi e colei uma na outra com fita dupla face. Ficou muito legal, não foi?

festa tema viagem

doces festa tema viagem

doces festa tema viagem

No fim das contas, pra decoração só houve investimento em flores (cerca de R$ 30,00), mapa mundi (2 mapas de R$ 6,00 cada), papel fotográfico (R$ 11,00) e tinta da impressora (claro!). Baixíssimo custo e altíssimo benefício.

Assim ficou a decoração! Simples e elegante como meu sogrinho querido, com a cara dele em todos detalhes e cheio de significado. Foi uma delícia!

Por hoje é só e até a próxima!

festa tema viagem

Fotos: Narah Alves

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Noite do pijama: festa de 10 anos nota DEZ!

Quando os filhos vão crescendo, festa temática tradicional se torna dispensável. Pensar em algo pra agradá-los não significa gastar um horror de dinheiro pra produzir uma mega festa com zilhões de amigos. Muito pelo contrário! Com o tempo, eles se tornam mais seletivos quanto aos amigos de que gostam de verdade e algo pensado exclusivamente pra eles (como uma noite do pijama) é uma ótima pedida pra quem não quer deixar de festejar e tá com a grana apertada.

Já mencionei AQUI o quanto curto festas EXCLUSIVAS para crianças. É muito mais divertido e uma excelente chance de interagir e conhecer melhor os amigos dos nossos filhos. No aniversário de 10 anos de Samara, não foi diferente – com direito a chamar 10 amigas pra passarem a noite juntas e escolher o tema da festa. Foi uma Noite do Pijama inesquecível e deliciosa!

Pra começar, eu estava bem atarefada nesse dia porque tive uma encomenda de festa completa (doces, decoração e padronagem) pra dar conta. Não tive tempo de organizar detalhes da Noite do Pijama, preparar a casa e nem receber as amiguinhas, mas fiz os preparativos com certa antecedência e o restante foi providenciado durante a noite…que sob todos os aspectos, pude afirmar: a noite foi uma criança (na verdade, 11) hehehe

O tema escolhido pela mocinha mais linda do mundo foi “Corujas”. Encomendei com bastante antecedência o kit pronto pra impressão e as almofadas da Layouteria. Se gostou do kit e quiser um igualzinho, clique AQUI.  Aliás, no blog da Layouteria também tem um post sobre a festinha de Samara. Se quiser olhar, clique AQUI. As corujas grandes e os chaveiros-coruja (dentro da gaiola) foram encomendados no Elo7, mas não lembro em qual loja.

untitled-design-9

untitled-design-12

Contei com a ajuda da minha tia pra recepcionar as meninas e iniciar a recreação e minha irmã Nara chegou depois pra registrar tudo e fazer brincadeiras com elas. Preparamos diversas atividades: pintura em tela (cada uma levou seu quadro pra casa), contação de história, gincana, boate, manicure e maquiagem, decoração de biscoitos e mais outras durante a looooonga noite.

noite do pijama

noite do pijama

Os celulares e tablets tiveram que ser confiscados pra evitar a triste cena de crianças isoladas em seu mundo virtual. O mundo real tava muito melhor, não concorda?

noite do pijama

Preparei uma mesa onde elas podiam pegar as baganas durante a noite e no dia seguinte abasteci com outros itens pra finalmente cantarmos os parabéns.

noite do pijama

untitled-design-11

As lembranças da noite foram os chaveirinhos, almofadas, quadros pintados e biscoitos decorados por elas mesmas. Como lancheirinha, preferi ter sacolas personalizadas a serem enchidas com toda baganeira que tinha na mesa principal. Amo fazer isso porque elas levam o máximo que conseguem dos doces da festa e não se enchem de balas e chicletes “sem futuro”.

untitled-design-14

Pela manhã preparamos sucos, pães de queijo, frutas diversas, biscoitinhos caseiros e mais outras coisinhas.

untitled-design-17

Sou muito grata às minhas ajudantes master por terem estado comigo durante a noite e na manhã seguinte. Sem elas, a festa não teria metade da animação. Recomendo ter familiares (ou amigos) animados pra te darem uma força. Ajuda é sempre muito bem-vinda nessas horas.

Não preciso dizer o quanto a minha filhota ficou feliz com a festa. Eu também fiquei muito contente com o resultado, apesar do pouquíssimo tempo pra organizar.

noite do pijama

Aí foi isso! #ficaadica

Você já fez uma noite do pijama? Como foi? Fala pra mim aqui embaixo. E se você gostou do post, compartilha nas redes sociais, vai!

Até a próxima! 😀

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

INFOGRÁFICO: 8 itens importantes para fazer uma festa memorável

Fazer uma festa e, ao final dela, deitar no sofá com os sapatos na mão e pés cheios de calos e crer que – de tão cansada – nunca mais vai conseguir levantar. Isso não é mérito de poucas pessoas. Mas o que fica de recordação não é essa cena, mas sim a anterior. O prazer de receber parentes e amigos queridos, de registrar momentos inesquecíveis, de compartilhar alegrias e ver que tudo (ou quase, normalmente) transcorreu bem e sem maiores imprevistos (que sempre acontecem, não se engane!).

Fazer uma festa é prazeroso, mas também trabalhoso, oneroso e cansativo. Se não investir tempo em pensar certas coisas, você pode acordar no dia seguinte com aquele sentimento de vazio. Digo porque eu mesma já passei por isso e refleti sobre quais pontos poderiam ter sido melhores. Pensando nisso, preparei um infográfico sobre 8 itens importantes para fazer uma festa memorável. Leia com atenção :

8-itens-necessarios

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Chá de bebê e aniversário numa festa só: Chá da Primavera

Olá!

Hoje quero compartilhar com você sobre o como foi meu Chá da Primavera, que foi uma celebração que uniu o meu aniversário e o chá de bebê. Sim! Porque eu tava grávida, toda trabalhada na circunferência em formato de elefante hahaha e sem paciência para ter duas comemorações em curto período de tempo. Além do que eu nunca tive uma festa grande, que pudesse estar com todas as amigas e familiares e achei justo me permitir todo esse trabalho e investimento. Valeu muuuuito à pena!

chá da primavera

Queria algo que fosse a minha cara – colorido, delicado e cheio de significado. Não queria nada “lugar comum”, com mamadeiras de lembrança ou bolo feito de fraldas descartáveis. Nada contra (nem a favor), mas queria algo próprio, onde tudo ao redor lembrasse o motivo da celebração: a Vida (a minha e a de Pedrinho).

chá de bebê

chá da primavera

Por que Chá da Primavera? Bom, primeiro porque foi em setembro, período mais lindo do ano que data o início da primavera; segundo, primavera é o início de um ciclo, das estações (tudo a ver com aniversário, quando a gente muda de idade e começa um novo ciclo); tem a ideia de recomeço (que refletia muito essa nova fase que se iniciava pra família – eu, Paulo e Samara – com a vinda de um bebezinho); é a estação mais linda do ano, com flores desabrochando, pássaros cantarolando, ruas mais bonitas (e eu, enquanto grávida, estava com uma  beleza particular); por último, escolhi o termo “chá” porque amo essa ideia de fazer festa no final da tarde e também porque era só pra mulheres, excetuando os homens da família.

As cores que escolhi foram: azul tiffany, rosa pink e laranja. Escolhi estas baseada em fotos do Pinterest. Estudei várias ideias de festa e vi que o tiffany combinaria muito bem com o pink (que eu amo) e laranja. O azul era pra lembrar mesmo o fato de que eu estava grávida de um menininho, mas as outras duas cores foram por ter encontrado nelas a melhor composição e também pelo fato de serem cores muito comuns à primavera.

Os elementos decorativos escolhidos foram bastidores coloridos, leques, borboletas, passarinhos e corações. As garrafas foram personalizadas pela decoradora e personalizadas uma a uma. Lindas! Encomendei um kit toalete para deixar à disposição das convidadas no lavabo. Um mimo lindo, com as cores da festa.

chá da primavera

chá da primavera

kit toalete

O local do Chá da Primavera foi a minha casa, já que queria que tivesse um “ar” familiar. Afinal, estávamos celebrando a vinda de um bebezinho muito esperado. Visita ao quarto de Pedrinho fez parte do final da programação, inclusive. Toda a casa exalava a alegria do momento histórico familiar.

O convite que pensei pro chá foi bem trabalhoso. Você pode discordar de mim, mas a verdade é que eu penso assim que, se é pra gastar com algo pra pessoa receber, pôr em qualquer lugar e jogar fora depois da festa, pelo menos que seja alguma coisa útil que ela possa usufruir por algum tempo. Como estava na moda o tal do livro “Jardim Secreto”, pensei em aliar a ideia da primavera, das cores e das músicas primaveris e criei o livro de colorir do chá, que consistiu em gravuras de colorir com trechos de músicas que tivessem a ver com flores e cores. Ficou demais! Imprimi em casa mesmo e cortei com estilete.

chá da primavera

Comprei coleção de lápis pequeno e enrolei-os juntos com barbante e fiz biscoitinhos amanteigados pra acompanhar a caixinha com os 3 itens. Ficou um mimo! Além disso, criei um evento no Facebook com todas as convidadas e pedi pra que postassem as fotos das pinturas delas. Foi tão legal e especial que não consigo nominar a alegria de ver seus desenhos até mesmo poucas horas antes da festa. A maioria comprou o desafio e me surpreenderam. Apesar dos calos adquiridos fazendo os livrinhos, digo que faria tudo outra vez. 😀

chá da primavera

Na decoração contei com uma equipe maravilhosa que conseguiu alcançar além das minhas palavras. O preenchimento do espaço, a ornamentação do lounge feito com pallets, a mesa principal com o painel lindo de viver composto por borboletas e corações, porta-retratos espalhados por todo ambiente, velas, as flores belíssimas e toda a atmosfera intimista e deliciosa foram criados minuciosamente pela equipe. Amei tudo!

chá da primavera chá da primavera chá da primavera

Pra mesa principal, contei com o bolo lindo feito por minha amiga Vivi Costa e docinhos finos que encomendei. Além disso, fiz macarons e tacinhas de chocolate belga com 3 tipos de recheios. Deixei ainda um local para degustação de amarula caseiro, café e biscoitos amanteigados.

bolo chá da primavera

doces chá da primavera

doces chá da primavera

Teve uma programação muito linda de músicas, declaração de amor do meu marido pra mim (uii!) e brincadeiras. Explico melhor no vídeo abaixo.

chá da primavera

O dia foi lindo (apesar da previsão do tempo) e aproveitamos cada momento. Ficou perfeito e especial! Estou postando quase um ano depois do evento e, relembrando, é como se eu ainda sentisse o cheiro das flores e as emoções vividas. Foi único!

Adda e Samara chá da primavera

chá da primavera

Ficha técnica da festa:
Decoração – Alice Souza
Iluminação – JPS Iluminação
Fotos – Narah Alves (minha irmã linda, maravilhosa e talentosa)
Convite – André Artes
Guardanapos – Garra Bordados
Doces Finos – Adriana Sinedino
Bolo – Vivi Costa
Maquiagem – HC Beauty
Kit toalete – Pra Quem Sonha Colorido

Fique agora com o vídeo que preparei pra ter mais detalhes da festa e lhe inspirar. Comemore! Festeje! Celebre!

Se você gostou deste post, compartilhe nas suas mídias sociais e com seus amigos.
Não esqueça de seguir o blog Artista de Plantão nas Mídias Sociais.
E já sabe: comenta aqui ou lá no meu canal no Youtube (clique AQUI pra se inscrever) pra dar ideias e me ajudar a fazer posts interessantes.
Beleza? Tô esperando ;D

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Elementos fáceis e criativos para não passar o Dia das Mães em branco

Olá!
Hoje começo meu prólogo confessando: ando assumindo riscos de improviso que jamais imaginaria ser possível fazer anos atrás. Não que seja ruim de fato, mas tenho deixado de curtir o processo criativo que tanto gosto quando algo é muito pensado e cultivado. Uma das áreas em que tenho cometido esse pecado é na produção de pequenas festas caseiras. Mas, paciência, né? É melhor improvisar e lançar às favas o maldito perfeccionismo do que passar em “branco” datas importantes. Deus perdoa.
Este ano, pela agonia dos dois trabalhos e pelas tarefas cotidianas, não tive tempo de pensar numa decoração digna do dia das mães. Mas era fato: tinha que fazer algo. Então, tratei de chamar minhas irmãs e minha sogrinha-mãe (e todos os adjacentes, claro!) pra almoçarmos juntas. Um dia antes do evento….vamos pensar no que fazer??? Bora lá:
Almoço feito na hora pede mix de nozes pra segurar a fome, suco pra refrescar, frutas da estação e…uma cascata de chocolate pra alegrar os doces corações femininos? Isso mesmo. Que delícia!

mesa decorada dia das mães

cascata de chocolate

Ah, e cubecake (minha invenção) bem pink pra combinar com nossa delicadeza materna.

cupcakes diferentes

Apesar da pressa, ainda dava tempo de fazer um mimo pra dar a todas as mães. Daí veio uma lição muito valiosa: nunca jogueis fora potes de geleia ou garrafinhas de leite de coco. Nunca se sabe quando ireis precisar delas.
De fato, foram muito úteis. Pintei as tampas dos potes com tinta spray na cor branca e pus os cortadores de scrap pra trabalhar. Com eles, fiz a tampa e a lateral dos potes em formato de flor. Pra dar um volume às flores laterais, usei um boleador e fiz movimentos circulares pra “levantar” as pétalas. No miolo, preguei botão. Fiz biscoitos amanteigados pra pôr dentro dos potes. Nas garrafinhas, utilizei fitas adesivas diversas da Martha Stewart. Ficaram meigas, né?

Untitled design-12

A criançada não foi esquecida. Além de outros atrativos, um balde de bolas cheias d’água pra brincarem de guerra de bolas fizeram a diversão delas.

balões

O almoço (feito por minha sogrinha) foi delicioso. Desta vez não fui pra cozinha, pois já tinha vindo dela. Kkkk
O dia seguiu com um gostoso café da tarde, filmes nostálgicos de Sissi e repouso merecido na rede. Tem coisa melhor?
Enfim, foi isso. Queria compartilhar com vocês pra encorajá-los a sempre tentarem fazer uma coisinha especial em encontros que estejam organizando. Criatividade e boa vontade são a chave pra qualquer produção, por mais simples que seja. Seus convidados se sentirão especiais com esta simples atitude de amor. Vale muuuuuuito à pena!
Beijos grandes!
Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

O dia em que fiz uma casinha de gingerbread (que desabou em seguida)!

casa gingerbread

Quem nunca sonhou com a casa de guloseimas do clássico “João e Maria”? Ou pensou em comer o personagem “Biscoito” de Shrek? Desde criança sonhamos em ter uma casinha feita de biscoito e coberta de guloseimas. Ou melhor, uma casinha de gingerbread (feita com especiarias, sobretudo o gengibre) com muuuuitas baganas pra alegrar os corações infantis. 😀

Meu sonho não era diferente, mas a distância entre o querer e o efetuar às vezes leva tempo. Comigo demorou “só” 35 anos de vida, já pra minha filhota 9 anos foram suficientes pra realizar o sonho de ter uma casinha de gingerbread em casa.
Na postagem passada falei da dificuldade físico-psíquico-mental que foi fazer a árvore de Natal deste ano. Fui dormir bem tarde (poderia até dizer que foi bem cedo, tendo em vista a hora que me deitei pra dormir enfim), mas acordei cedo e cheia de disposição pra construir uma casa.
– Samara, bom dia, mô amor! O que você acha da gente hoje construir uma casa?
– Como assim, mamãe?
– Uma casa de gingerbread. Bora?
– êêêêêêêêêêêêê!!!!!!!!!! (entenderam, né?)
Ela mesma tratou de pegar seu livro de receitas (é, ela tem um livro de receitas super bacana!) e me mostrou a receitinha do gingerbread. Vamo comigo?
livro receita casinha gingerbread

Casinha de gingerbread (adaptado)

Ingredientes da massa:
250 g de manteiga sem sal
150 g de açúcar mascavo
2 ovos médios batidos
175 ml de glicose de milho
2 colheres de chá de gengibre em pó
650 g de farinha de trigo
2 c.s. Bicarbonato de sódio
Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme. Adicione os ovos, a glicose, o gengibre, o bicarbonato e metade da farinha. Junte o restante da farinha e bata até formar uma bola. Embrulhe em filme de PVC e deixe esfriar por 30 minutos. Corte os moldes. Eu confesso que não sou boa de fazer moldes bonitinhos desenhados pra pôr aqui, mas não é difícil fazê-los. Eu peguei uma folha grossa de papel vegetal e fiz 3 moldes: o da frente da casa (que é o mesmo dos fundos, excetuando a porta), o das paredes laterais e o do telhado. Depois que cortava ao redor é que – a mão livre – cortava porta e janelas.
Continuando….preaqueça o forno a 180 graus. Abra a massa, com o cuidado de no fundo ter o próprio papel manteiga que irá forrar a fôrma. Assim, quando cortar as peças, você não precisará deslocar a massa pra outro lugar e correr o SÉRIO risco de quebrar. Vai por mim, eu tentei isso. Kkkkk
Leve as peças já cortadas ao forno até dourar um pouco (cerca de 15 minutos). Deixe esfriar por 10 minutos, depois asse por 12 minutos. Esfrie e reserve.
Agora, a receita diz pra bater 1 gema com 225 g de açúcar glacê peneirado para usar como “argamassa” pra unir as partes. Não fiz isso, porque julguei que o glacê normal já daria a liga necessária. Só que, no meu caso, a casinha descolou depois de umas 5 horas. Foi uma pena! Por isso mesmo e sabendo que a função da gema é realmente de dar a “liga”, façam o que a receita manda, ok?
E agora, depois de tudo bonitinho, é só soltar a imaginação. Peguei umas ideias de decoração na net e saí juntando tudo o que havia gostado. Eu colocava o glacê e Samara decorava do jeito que quisesse. Ah, a massa rendeu bastante. Deu até pra fazer os bonequinhos de gingerbread, mas esqueci de fotografá-los. 🙁
casinha gingerbread
P.S.: dá pra notar que, nessa hora, a casinha já estava despencando, né? Olha a minha mão tentando segurar o empreendimento pra registrar com pelo menos uma foto. Kkkkkkkk
Xiii, deu errado! Casinha gingerbread caindo
É isso! Mãe orgulhosa da filhota decoradora arquiteta e frustrada por eu não ter sido uma boa engenheira. Tem nada não, gingerbread pode ser feito qualquer dia….kkkkkk
Até mais!
Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Árvores de Natal: faça a sua você mesma (com economia) e encante!

Olá!
Este ano eu andava cansada demais pra pensar em preparativos e decoração natalina. O excesso de atividades conseguiu roubar de mim a criatividade e motivação necessárias ao feito. Às vésperas do Natal e eu sem tempo até de comprar os acessórios de que precisava pra construir a minha árvore de Natal.
Mas aí lembrei do aniversariante – que é a razão maior de toda essa comemoração de fim de ano – e do alto preço que Ele pagou por minha vida (e pela sua). Seu sofrimento foi inigualavelmente maior do que minha indisposição e cansaço fatigante. Então eu disse: – Tá bom, Jesus, o Senhor merece o melhor de mim até quando eu acho que não tenho nada pra oferecer. É verdade!
Cheguei a última sexta em casa sem nenhum material em vista, mas com vontade grande de fazer algo bem bonito. Primeiro, tratei de fazer uma árvore pequena para compor a mesa de Natal. Peguei uma cartolina e fiz dois cones, um dentro do outro, pra sustentar melhor o que pretendia fazer. Recortei quadradinhos de tecidos que já tinha em casa, sempre nas cores vermelha, verde e branca. Colei tudo com cola branca e ajuda imprescindível de um pincel. Para finalizar, lacinhos colados com cola quente e dois botões em formato de coração (colados verso com verso) no topo em lugar da estrela (que eu não tinha), representando o grande amor de Deus. Encaixei a árvore num castiçal velho guardado e este dentro de um balde cheio de sal grosso. Voilá!!! Eis que uma árvore nasceu!

árvore Natal em vaso

Neste momento, maridão me chamou pra dormir, cuidando da minha saúde física e mental. Eu disse que precisava de mais um tempinho pra concluir o que queria. Só dessa vez….rsrsrsrsrs
untitled-design-4
Aí começou a luta de engenharia pra construir uma árvore suspensa. Já havia visto uma ideia parecida na net, mas precisava de algo como um bambolê. Também não poderia ser nada pesado, como esta luminária rústica que comprei pra fazer uma estátua de papel maché. Frustrada, já ia desistindo quando abri o armário do meu mini-ateliê e vi as palhas que tirei de umas cestinhas e havia guardado para “eventual” necessidade.
Pausa para a conclusão do raciocínio: não tenho o hábito de juntar troço e nem tenho espaço pra isso. Mas, as coisas “oficialmente sem utilidade” que guardo sempre encontram um happy end em algum momento. Porque precisamos instigar nossa criatividade em prol de objetos sustentáveis. A natureza agradece, bem como seu bolso e satisfação pessoal. Experimente!
Voltando dos comerciais (rsrsrsrs), juntei as palhas com fita adesiva e fiz um bambolê. Tá certo que não ficou um círculo perfeito, mas sabia que no fim das contas ninguém iria notar isso. Forrei o círculo com tecido verde e amarrei cordas ao redor dele. A estrutura estava pronta! Agora, era só soltar a imaginação!!!! uhuhuhuhuhuh
livro-2
Para enfeitar minha árvore, recortei tiras do mesmo tecido da árvore pequena, peguei bolas natalinas que já havia comprado um mês atrás, borboletas coloridas e até uns candelabros pequeninos. Quando fui colocando as bolas, notei que o peso delas puxava a armação de cordas pro centro, deixando a árvore “murcha”. Então, fiz mais dois bambolês de palha, forrei-os e encaixei-os na árvore. Pra fixar, fiz nós com fitas e consegui mais um plus decorativo com isso. Achei que os bambolês estavam muito sem graça e sem elementos decorativos, então colei correntes de pérolas ao redor delas. E pronto! Não tirei fotos do PAP porque era noite, eu tava com sono e meu iPad não tira foto legal à noite. Ah, as velinhas acesas ficaram deslumbrantes, lindas mesmo.
livro-4
Depois disso tudo, finalmente fui dormir! Acordei no outro dia cedo, doidinha pra realizar um antigo sonho: construir uma casinha de gingerbread. Mas isso é assunto pra o próximo post, tá?
Até mais!

 

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Dia dos Pais: padronagem, flores de papel e devaneios para um dia especial

Por que, hein? Às vezes eu me pego perguntando por que não mais resisto a fazer festinhas comemorativas aqui em casa. Poderia estar descansando….poderia estar lendo….poderia estar roubando….mas não! Estou confeccionando os preparativos para o dia dos pais versão 2012 daqui de casa. Culpa de quem? Do blog, claro! Depois que caí nessa rede, minha vida de peixe nunca mais foi a mesma. Preocupação em tirar fotinhas de quase tudo que faço e uma lista sem-fim de ideias pra pôr em prática nos próximos 59 anos. Enfim, vida de blogueira é uma equaçãozinha mais ou menos assim:
+ ludicidade + trabalho + afeto – ociosidade – horas de sono = 2 x (alegria x satisfação) / todos


Questionamentos e devaneios terminados, vamo que vamo ao que interessa.

Bom, já havia encasquetado que nesse ano teria o tal do charuto de chocolate na festa. Acho um charme charutinho de mentirinha (e SÓ DE MENTIRINHA). Uma coisa leva a outra e acabei vendo aqui uns rótulos retrô de cerveja para o dia dos pais, toppers de cupcake e bandeirolas – tudo pra inglês nenhum botar defeito e que casava muito bem com os charutinhos.

untitled-design-18

Daí veio outra ideia: tomar as cajuínas todas que tenho em casa e desocupar as garrafinhas pra colocar nelas o rótulo personalizado e enchê-las de baganas. Exceto pela overdose de cajuína, o resultado ficou ótimo!

untitled-design-20

Então, resumidamente, vamos ao check-list da festa:

Tema – pai retrô
Paleta de cores – branco, marrom, laranja e azul
Elementos decorativos – garrafas e tampinhas de cerveja, latas de conserva, caixote (não sei se irei achar), moldura de quadro, porta-retratos preto, bigodes artificiais (claro, né? Dããã) e cravos de papel.
Comidinhas – surpresinha


Quanto aos cravos de papel, a técnica pra fazê-los é a mesma dos pompons de papel seda. Caso não saiba, clique aqui. A única diferença está no tamanho da folha. Se para um pompom você utiliza de 8 a 10 folhas, para um cravo é necessário somente 1 folha de papel seda dobrada e cortada quatro vezes. Simples e econômico assim!

untitled-design-22

Depois é só dobrar em forma de leque, dar um nó com barbante no meio e abrir as folhas. Detalhe: deixe sempre uma folha de cada lado sem abrir, pois será utilizada como caule e dará suporte ao encaixe no galho. Entendeu não? Nem eu! Então, como já disse Jack, vamos por partes!
untitled-design-23
Abre as folhinhas sempre direcionando pra cima. Afinal, queremos um formato de flor e não de bola. Nas duas últimas folhas, una-as e as enrosque para que não soltem. Depois, corre atrás de gravetos secos (ou use palitos de churrasco recobertos por canudos) e faça a linda união dos dois com uma fita adesiva. P.S.: usei da escura para que ficasse mais “tom sobre tom”. De todo modo, sugiro pintar o caule todo depois de pronto com a cor preferida. É, eu disse preferida. Não precisa ser verde somente. Dar um plus no colorido nunca matou ninguém, vai!

 

untitled-design-21



O vasinho já ficou prontinho. Rústico da lata + delicadeza da fita = vasinho meigo. É, eu sei…mais equações…hoje não tô muito bem da cabeça….

Espero que tenham gostado do mimo! Facim, facim de fazer.

Beijos x 10 (desculpa, não resisti kkkkkk)

 

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Receita do bolo tradicional: com damasco, pêssego, doce de leite e nozes

bolo tradicional

Oiê!

Descobri que sou mais boba do que pensava. Andava procurando “A” receita de bolo mais deliciosa do mundo, aquele tipo de torta que se transforma em receita tradicional da família,…que todo mundo pede para fazê-la nos eventos especiais… que quando os filhos ou marido voltam de uma longa viagem vêm com a boca cheia de saliva e a certeza de que vão encontrar Aquele bolo?! Pois é, sou boba assim.

Notei com isso a necessidade que temos de “tradição“. Como é legal essa coisa de tradição de família passada geração a geração! Amo isso! E como na minha não foi mantida nenhuma a não ser o fato de que quase todas as mulheres sabem fazer sapatinhos de tricô (ok, nunca tive paciência pra isso! Não me façam encomendas! kkk), ando tentando criar algumas tradições familiares que espero que perdurem de fato. Uma delas é a receita do cookinho – um biscoito com gotas de chocolate e castanhas.

Mas, voltando à história do bolo, outro dia folheando a primeira revista de Ana Maria Braga, achei A receita. Meu coração palpitou, tive de conter minha euforia e (só por causa da receita) comprei a revista. Já saí espalhando aos quatro cantos do mundo que faria o bolo tradicional no Dia das Mães. Sou cômica! Bolo Tradicional que nunca havia sido nem visto?! Só eu mesma! hahaha

Então, tratei de comprar os ingredientes (caaaaaros!) para que pudesse fazê-lo. A receita é do chef  Flávio Federico, mas fiz adaptação na massa, pois a dele realmente não deu certo!

Bolo Tradicional (receita adaptada)

bolo tradicional

Massa
12 ovos inteiros em temperatura ambiente
3 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 c.s. fermento em pó
1 xícara (chá) de açúcar
1 c.s. rasa de canela em pó
6 c.s. de manteiga derretida

Preparei a massa com metade dos ingredientes e fiz duas vezes, pois acho que consigo um melhor resultado, mas isso é bem pessoal.
Bata os ovos com o açúcar na batedeira por 10 minutos. Incorpore a farinha e a canela misturadas e peneiradas. acrescente a a manteiga. Espalhe em um aro ou fôrma de bolo de 25×7 cm já untado e polvilhado. Preaqueça o forno por 30 minutos e asse o bolo a 190° C por 30 a 35 minutos.

Recheio 1
2 xícaras (chá) de damascos picados
400 ml de suco de laranja
2 xícara (chá) de pêssegos em calda picados e escorridos
6 c.s. de manteiga
1/2 xícara (chá) de açúcar
Ferva o suco de laranja, coloque sobre os damascos, deixe hidratar por 12 horas e escorra. Derreta a manteiga em uma frigideira, acrescente o damasco, o pêssego e o açúcar e cozinhe até secar.

Recheio 2
1 xícara (chá) + 5 c.s. de açúcar
200 g de nozes picadas
800 g de doce de leite
Faça um caramelo com o açúcar, acrescente as nozes, mexa bem e despeje sobre uma superfície untada ou tapete de silicone (fiz neste e foi super fácil de manusear). Amasse com um rolo untado até ficar bem fino. Deixe esfriar, reserve um pedaço para enfeitar o bolo e coloque o restante dentro de um saco plástico e quebre no tamanho desejado. Misture com o doce de leite.

Cobertura de merengue suíço
5 claras de ovos
1 xícara (chá) + 8 c.s. de açúcar
1 pitada de sal
Misture bem os ingredientes e leve ao fogo ou banho-maria, batendo até que os grãos do açúcar derretam. Você não vai mais ouvir os grãos raspando na panela. Leve à batedeira em velocidade alta por 1 minuto e depois média por 3 a 4 minutos.

Montagem e decoração
Corte o bolo já frio em quatro camadas iguais. Cubra o interior de um aro para montagem de bolos com filme de PVC. Isso vai facilitar a sua vida na hora de desenformar!

Prepare uma calda feita com 200 ml de água fervida e 1/2 xícara (chá) de açúcar. Deixe esfriar e acrescente 100 ml de uísque (eu coloquei 50 ml de rum, que era o que tinha). Coloque um corte do bolo no aro e regue com a calda. Espalhe metade do recheio 2.

Coloque outra camada do bolo por cima, reque com a calda e coloque todo o recheio 1. Repita a operação com mais uma camada do recheio 2 e só então coloque a última parte do bolo. Regue com a calda, cubra com um pedaço de filme de PVC, coloque algo para fazer peso – pode ser uma assadeira – e leve à geladeira por ao menos 6 horas.

Desenforme virando o bolo, pois o interessante é que a parte do fundo fique bem retinha para ser decorada.
Cubra o bolo com o merengue suíço e queime com um maçarico em cima para dar um “ar” dourado em cima (como eu não tenho maçarico, deixei toda branquinha). Decore a gosto.

Eu sei, eu sei… é um bolo demorado e difícil um tantinho de ser feito. Mas o resultado é maravilhoso! O sabor é inusitado e lembra (segundo a minha cunhada) o sabor de um bolo de flores. Como a dificuldade de uma receita não me desestimula, garanto que esse bolo realmente será o bolo tradicional da família Ritzel. Olha só como o bichinho é apetitoso…

bolo tradicional

Beijo!

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Chá do Dia das Mães: amor nos detalhes

Após uns dias sumidinha, cá retorno ao lar cheia de novidades e alegria no coração. Se você ainda não sabe, estava preparando o chá para o dia das mães, que como já citei por aqui era pra ser inicialmente só com o bolo e pouquíssimos aperitivos. Como a mudança de planos foi inevitável, acabei me empolgando demais da conta. Mas tem nada não, foi ótimo!!!

Tenho que dizer que fiquei muito feliz com o resultado, principalmente levando em consideração o pouco tempo disponível pra os preparativos. No fim das contas, vi as fotos e constatei que estou pegando o jeito em preparar festinhas caseiras. Além disso, no processo acabei acumulando conhecimentos já na lista de pendências faz muito tempo. Estou aprendendo a fazer crochê, lidando melhor com agulhas de um modo geral e já pensando por conta própria (sem ajuda de fotos de outras pessoas) nos detalhes que compuseram o ambiente. Ah, também tive a oportunidade de fazer os pompons de papel seda. Coisas simples que fizeram um bem danado pra mim! A-M-E-I.
Pra começar, optei por fazer o chá ao ar livre, pois é bem mais ventilado e dava pra monitorar a criançada eufórica brincando. Também ficou mais bonito e espaçoso. Coloquei duas mesas de apoio – uma com as comidas e a outra com as lembrancinhas da festa.
Para as lembrancinhas, comprei retalhos de tecidos estampados com predominância das cores rosa, azul, vermelho e branco. Cortei os tecidos em formato de coração e costurei à mão. Nada difícil, não é? Depois enchi com espuma e preguei botões ou lacinhos. Usei o aromatizador da LeLis (que já uso em casa pra aromatizar os ambientes) e fechei em saquinhos pra manter o cheirinho. Almofadinhas aromáticas pra uso no guarda-roupa prontinhas!
chá dia das mães
Outras lembrancinhas foram os aventais que comprei numa loja de artigos de R$ 1,99. Estas não foram pras mães, mas sim pros filhos. Cada filho recebeu um avental com uma frase personalizada e já “ditando” a sua contribuição para esse dia tão especial. Lavar louça, enxugá-la, varrer a casa, passar o pano, entre outras obrigações mais do que justas, pois mãe não é louca deve trabalhar (pelo menos, meu Pai!) no seu dia.
chá do dia das mães
Aproveitei os quadrinhos de MDF que já tinha e fiz as letras do nome MÃE pra decorar e também fazermos charme nas fotos. hahaha Deixo você com a coletânea das fotos do dia.
chá dia das mãeschá dia das mãeschá dia das mãeschá dia das mãeschá dia das mães
Para o cardápio, tive a pretensão de tentar preparar pratos saudáveis e sem acréscimo de leite condensado ou creme de leite. Consegui! Então, ficou assim:
  • Quiche de abobrinha aos 3 queijos
  • Quiche de espinafre, rúcula e ricota
  • Scones de uva passa (veja a receita AQUI)
  • Biscoitos decorados por minha filha
  • Aperitivos de ovos de codorna com requeijão e cebolinha
  • Torta crocante de nozes com pêra, damasco e laranja
  • Palitinhos de alecrim com queijo
  • Palitinhos de salsa com queijo
  • Chá mate com limão/suco/café
Fazer tudinho sozinha exigiu um plus organizacional de mim, pois tive de direcionar horários livres à noite pra adiantar alguns pratos. Na verdade, queria fazer até mais coisas, mas a falta de tempo no dia do chá me restringiu um pouco. Paciência!
Estimulada pela minha cunhada, acabamos fazendo o primeiro Chá da Troca aqui em casa. Cada mamãe trouxe 5 peças (blusas, calças, bijus, bolsas e até enfeites de casa) e fizemos o leilão para as trocas. Muito divertido! Excelente! Explicarei melhor depois…
chá dia das mães
untitled-design-38chá dia das mãesNa ordem (da esquerda pra direita), destaco as mamães: minha sogrinha Dorivan, Rita, Lena, Evangeline, Ellyna, Nara, Leciana e eu. Todas as fotos passaram pelas lentes criteriosas da minha irmã mais que artista de plantão – Narah Alves. Ela, que é uma tremenda profissional e que ama fotografar crianças, está se especializando também em registrar detalhes das festas. Bom pra nós, né?
Por hoje é só. Mas não se preocupe que as receitinhas dos pratos mencionados virão depois.
Se gostou da postagem, comenta aqui embaixo que vou amar saber o que você achou.  Conto com você pra melhorar as próximas postagens! ;D
Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.