Arquivos de Tag: comidinhas

Festa tema Viagem: sou cidadão do mundo

Oi!

Este ano comemoramos 75 aninhos bem vividos do meu sogrinho. Festa caseira com o tema “Viagem: sou cidadão do mundo” pra cerca de 40 pessoas, bem organizada pela sogrinha e com muitas atrações artísticas familiares (na minha família só tem artista de plantão hehehe).

Escolhi o tema pensando no modelo do bolo, acredita? Haviam 3 possibilidades: boteco, cinema e viagem (coisas que têm tudo a ver com ele). Aí procurei inspirações no Pinterest e decidimos pelo tema Viagem porque ficaria mais fácil (e barato!) de arrumar a mesa principal com as lembrancinhas de viagem que ele possui. Não queríamos gastar com decoração, então combinei com a sogrinha de que itens precisaria (globo, malas retrô, aviões, porta-retratos e mapa mundi) e fomos buscar junto à família. Felizmente ter uma irmã fotógrafa tem mais de uma utilidade e os objetos retrô peguei diretamente no estúdio dela. O cordão luminoso, pratos de bolo, vasos de flores e um dos aparadores são meus. E assim conseguimos todos os itens decorativos.

O mapa mundi era pra colocar de fundo e alfinetar todos os lugares por onde meu sogro viajou (haja alfinetes), cobrir o tampo do aparador que usei como mesa e também fazer bandeirolas. Optamos por arrumar a mesa ao ar livre pra inaugurar o caramanchão feito pelo sogrinho e dar ainda mais pessoalidade à festa.

festa viagem

Para padronagem, pensei em itens simples: tic-tacs (que meu sogro amaaaaaaa) em forma de passaporte, plaquinhas indicativas de lugares por onde já passou e placa “Hey, sou cidadão do mundo”. Afinal, festa de adulto não pede muita personalização. Fica mais chique assim.

Imprimi tudo em casa com papel fotográfico. Os passaportes tirei de foto na internet e copiei/colei no Word. Medi a caixinha de balinhas e fomatei a imagem do passaporte no tamanho ideal. Aí repliquei a imagem de forma a caber o máximo numa folha A4. Pronto! Sem segredo! Qualquer um faz!

festa viagem

festa viagem

O bolo mega-lindo-extra-power-de-perfeito e os cupcakes foram feitos pela minha amiga Vivi Costa, a mesma que também tinha feito o bolo pro meu Chá da Primavera. Lembra? Veja AQUI.  Pedi somente que fosse em formato de mala e que, se possível, tivesse emblemas de alguns países. Aí ela me apareceu com esse escândalo de bolo e cupcakes personalizados. Amei! O bolo foi, de fato, o centro da decoração.

bolo festa viagem

Os doces foram feitos por mim e minha filha. Confeiteira da família tem que servir pra alguma coisa, né? Pensei em fazer somente docinhos finos, sem chocolates mega personalizados porque, afinal, 75 anos requerem respeito. kkk As tortinhas de limão (receita AQUI) ficaram um charme em meio às flores. Fiz também brigadeiro de pistache, zabaione e romeu e julieta, além dos meus queridos macarons. Ah, note nas bandeirinhas dos docinhos. Aproveitei aquelas bandeiras indicativas dos países que ficam em baixo no mapa mundi e colei uma na outra com fita dupla face. Ficou muito legal, não foi?

festa tema viagem

doces festa tema viagem

doces festa tema viagem

No fim das contas, pra decoração só houve investimento em flores (cerca de R$ 30,00), mapa mundi (2 mapas de R$ 6,00 cada), papel fotográfico (R$ 11,00) e tinta da impressora (claro!). Baixíssimo custo e altíssimo benefício.

Assim ficou a decoração! Simples e elegante como meu sogrinho querido, com a cara dele em todos detalhes e cheio de significado. Foi uma delícia!

Por hoje é só e até a próxima!

festa tema viagem

Fotos: Narah Alves

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Chocolate quente cremoso em 3 minutos

Não, você não leu errado! É isso mesmo! Chocolate quente cremosíssimo em apenas 3 minutos.

Agora pense comigo: o que tanto na vida pode ser feito em apenas 3 minutos? Macarrão instantâneo? (ecaaa!!!) Pipoca de microondas? Poucas coisas, né? Aqui em casa eu tenho duas receitas pra chocolate quente: a mais barata que rende bastante e demora 30 minutos pra ficar pronto e a mais cara que rende pouco e fica pronto rapidinho. Quando bate aquela vontade desesperada de chocolate quentinho pra acompanhar um filme e deitada sob edredom, é a esta receita que recorro. E vô falá: é a melhor receita de chocolate quente que já fiz.

Chocolate quente

chocolate quente

Ingredientes:

½ xícara de chá de creme de leite

½ xícara de chá de leite integral

100 g de chocolate meio amargo

1 c.s. de açúcar

1 pitada de sal

Canela a gosto

Numa panela, misture o creme de leite e leite. Leve ao fogo médio para aquecer. Retire do fogo e acrescente o chocolate picado. Misture até que o chocolate derreta completamente. Adicione o açúcar, canela e sal pra realçar o sabor. Retorne a panela pro fogo (agora baixo). Mexa bem. Note que o creme vai ficar escuro e brilhante. Aí é só servir!

P.S.: esse chocolate fica muito cremoso e consistente. Se preferir que fique mais fluido, acrescente mais ½ xícara de leite lá no comecinho da receita.

chocolate quente

Mas não terminou por aqui. Veja o vídeo explicativo e aproveite pra se inscrever no meu canal. É só clicar AQUI e depois no botão INSCREVER-SE.

Beijos e até a próxima!

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Scones de uva-passa: passo-a-passo e segredinhos pra deixá-los irresistíveis

Hoje vim fazer algo delícia e facinho de fazer: scones de uva-passa. Não, eu não to espirrando. O nome é scone mesmo. haha

Olhe, o scone nada mais é do que um pão rápido por não levar fermento biológico na sua massa. Do inglês, scone quer dizer idem. A ideia é exatamente essa – ser idem a um pão. O scone é muito popular no Reino Unido, EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Irlanda (sim, fui atrás dessa informação só pra passar por inteligente). Mas o que faz do scone ser diferente de um pão simples é que a manteiga é adicionada em pedaços e por isso dá uma textura especial pra ele.

O scone é macio e não tem intenção nenhuma de ser maravilhoso e estar nas vitrines das confeitarias como protagonista. Não! Ele foi feito pra ser simples. Sabe aquela comida que você come uma vez e não dá muito crédito, mas depois de alguns dias lembra dele e resolve fazer de novo? Pois bem, assim também é com o scone. Aliás, eu tenho uma tese acerca disso: acho que algumas comidas precisam de 3 provas pra lhe tornar viciado. Por exemplo, açaí, sushi e capelettii in brodo. Quando vc prova um desses da primeira vez, não acha muita graça (mas come). Dai dias depois você lembra daquela comida sem graça e resolve provar novamente. Beleza! Pronto. Pare por aí, porque se comer de novo…lascou-se!!!

O mesmo se dá com o scone. É um trequinho que vicia. Pode ser salgado ou doce. Eu particularmente gosto do doce com uva passa. Acompanha muito bem o café da tarde e você pode também incrementar com o que quiser. Eu gosto de colocar ganache ou creme de avelã no topo e uma cereja. Mas, normalmente, como simples mesmo que já é muito bom.

Então bora aprender?

scones uva-passa

Scones

Ingredientes:

280 g de farinhas de trigo

70 g de manteiga fria

4 colheres de sopa de açúcar

80 g de uva-passa picada

160 g de creme de leite com soro (e mais um pouco pra dar brilho no final)

1 colher de sopa de fermento em pó

1 pitada de sal

Pré-aqueça o forno a 220°C. Forre uma fôrma com papel manteiga. Em uma tigela, misture a farinha, o fermento e o sal. Corte a manteiga em pedaços médios e coloque sobre os ingredientes secos. Misture até obter uma massa granulada. Junte as uvas-passas picadas e misture. Faça um buraco no meio da massa.

Bata o ovo e o açúcar dentro de um recipiente até obter uma textura cremosa. Coloque essa mistura no buraco feito no meio da massa e misture bem. Incorpore o creme de leite à massa. Polvilhe farinha sobre uma tábua e coloque a massa sobre ela. Trabalhe a massa rapidamente para que fique homogênea e modele-a como uma bolacha grossa de aproximadamente 3 cm de altura.

Dica 1: se tiver um cortador de biscoitos redondo, vai facilitar seu trabalho. Não esqueça de mergulhar o cortador na farinha cada vez que for usar, de modo a evitar que a massa grude nele e dificulte a retirada.

Quando terminar de cortar todos os scones e colocá-los na fôrma, pincele um pouco de creme de leite em cima. Leve ao forno por cerca de 15 minutos (eu deixo até o momento deles ficarem levemente dourados em cima) e retire da fôrma pra esfriar.

Dica 2: um ponto importante é deixar esfriar os scones numa grelha, pincelar creme de leite e abafar pra dar maior brilho. Depois é só guardar num pote. Vale por uma semana, aproximadamente.

Fácil, né? Tudo na mão, sem necessidade de deixar descansando a massa pra que ela cresça.

Os scones abaixo eu fiz pra festinha do Dia das Mães aqui em casa. Pra ver o post da festa, cique AQUI.

SCONES UVA PASSA

Agora faça aí na sua casa, vai! Mas espera! Antes de ir, curta o vídeo no Youtube clicando AQUI e, se não se inscreveu ainda no canal (nãããããoooo?????) aperta no botão vermelho abaixo do vídeo. E claro: as redes sociais estão aí pra serem usadas. Se gostou da receita, compartilha, né? ;P

Agora pronto! Acabou o assunto. Vou-me embora. Até a próxima! Tchau!

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Tortinha de limão

Olá!

Sabe aquele dia de domingo, após o almoço, em que você olha pros lados (e sobretudo na geladeira) e não vê nada docinho pra comer? Mas aí você pensa: poxa, tô cansada. Mereço dormir um pouquinho nesse final da tarde pra repor minhas energias. Beleza! Aí você até deita, mas entra em cena a sua lombriga de estimação que lhe “caninga” até que você cede e levanta pra fazer alguma sobremesa.

Bom, há quem diga que isso não acontece, mas por via das dúvidas venho hoje compartilhar uma receitinha mara pra fazer nessas horas difíceis e que cai muito bem com café ou chá. Aliás, cai bem com tudo! Faço inclusive pra festinhas aqui em casa. Bora aprender?

Tortinha de limão

tortinha de limão

Ingredientes:

1 gema

100 gramas de manteiga em temperatura ambiente

3 c.s. açúcar

1 pitada de sal

3 c.s. leite

2 xíc. chá farinha de trigo

raspas de 1 limão e suco de 1/2 limão

1 lata de leite condensado

Misture a gema, manteiga, açúcar, leite, sal e farinha de trigo até formar uma massa unida que solte das mãos. Forre fôrminhas de empada (usei uma fôrma de mini cupcakes) com uma camada fina de massa. Misture as raspas do limão, o suco e leite condensado e despeje nas fôrminhas. Não preencha até a borda porque pode transbordar quando estiver no forno. Leve ao forno (180 graus) até dourar.

Caso queira incrementar as tortinhas, prepare um merengue suíço para cobrir. Para fazê-lo, vamos precisar de:

1/2 xícara chá + 4 c.s. açúcar refinado

3 claras

1 pitada de sal

Misture tudo numa panela pequena e leve ao fogo (baixo) ou banho-maria. Mexa até sentir que o açúcar derreteu. Se tiver um termômetro culinário, espere chegar até 60°C e desligue o fogo. Transfira imediatamente para um bowl e bata na batedeira por 1 minuto em velocidade média e por mais 3 a 4 minutos na velocidade alta. Ponha o merengue numa manga de confeitar e decore as tortinhas como achar melhor. Pra finalizar (opcional), use o maçarico para dourar a superfície do merengue ou polvilhe raspas de limão por cima.

É isso! Tortinhas lindas e saborosas, lombriga feliz da vida e você sossegada pra ir dormir. Vá! Você merece. zzzzzzzzzzzzzz

Ops, mas antes de voltar pra cama, faça um favor:
Se você gostou deste post, compartilhe nas suas mídias sociais e com seus amigos.
Não esqueça de seguir o blog Artista de Plantão nas Mídias Sociais.
E já sabe: comenta aqui ou lá no meu canal no Youtube (clique AQUI pra se inscrever) pra dar ideias e me ajudar a fazer posts interessantes.
Beleza? Tô esperando ;D

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

O melhor bolo de cenoura com nozes do mundo!

Tem receita que a gente faz uma vez e…tá, já deu! Até guardamos pra fazer um dia (e ele nunca chega). Mas existem outras receitinhas maravilindas que até colocamos na porta da geladeira pra não correr o risco de perder. O bolo de cenoura com nozes é uma dessas receitas. Tem videozinho divertido e tudo pra explicar, mas deixo didaticamente a receita aqui, porque amor nunca é demais!

Bolo de cenoura com nozes

bolo de cenoura com nozes

Ingredientes:

4 ovos
400 g de açúcar
3/4 xícara de óleo
1 pitada de sal
255 g de farinha de trigo
1 c.s. de canela
1/2 c.c. de bicarbonato de sódio
1 c.c. de fermento em pó
455 g de cenoura ralada (cerca de 4 cenouras pequenas)
85 g de nozes ou castanhas
raspas das cascas de laranja e de limão
1 c.s. de essência de baunilha

Bata os ovos, sal e açúcar na batedeira até chegar na consistência de espuma. Acrescente o óleo em fio e continue batendo. Depois desligue a batedeira e acrescente a farinha, a canela, o bicarbonato, o fermento e o sal peneirados e misturados. Mexa com espátula ou colher delicadamente. Depois junte a cenoura, nozes, as raspas e a baunilha. Misture tudo, coloque numa fôrma untada e enfarinhada e leve ao forno pré-aquecido a 170 graus e asse por cerca de uma hora. Pronto!

Se você gostou deste post, compartilhe nas suas mídias sociais e com seus amigos.
Não esqueça de seguir o blog Artista de Plantão nas Mídias Sociais.
E já sabe: comenta aqui ou lá no meu canal no Youtube (clique AQUI pra se inscrever) pra dar ideias e me ajudar a fazer posts interessantes.
Beleza? Tô esperando ;D

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

O dia em que fiz uma casinha de gingerbread (que desabou em seguida)!

casa gingerbread

Quem nunca sonhou com a casa de guloseimas do clássico “João e Maria”? Ou pensou em comer o personagem “Biscoito” de Shrek? Desde criança sonhamos em ter uma casinha feita de biscoito e coberta de guloseimas. Ou melhor, uma casinha de gingerbread (feita com especiarias, sobretudo o gengibre) com muuuuitas baganas pra alegrar os corações infantis. 😀

Meu sonho não era diferente, mas a distância entre o querer e o efetuar às vezes leva tempo. Comigo demorou “só” 35 anos de vida, já pra minha filhota 9 anos foram suficientes pra realizar o sonho de ter uma casinha de gingerbread em casa.
Na postagem passada falei da dificuldade físico-psíquico-mental que foi fazer a árvore de Natal deste ano. Fui dormir bem tarde (poderia até dizer que foi bem cedo, tendo em vista a hora que me deitei pra dormir enfim), mas acordei cedo e cheia de disposição pra construir uma casa.
– Samara, bom dia, mô amor! O que você acha da gente hoje construir uma casa?
– Como assim, mamãe?
– Uma casa de gingerbread. Bora?
– êêêêêêêêêêêêê!!!!!!!!!! (entenderam, né?)
Ela mesma tratou de pegar seu livro de receitas (é, ela tem um livro de receitas super bacana!) e me mostrou a receitinha do gingerbread. Vamo comigo?
livro receita casinha gingerbread

Casinha de gingerbread (adaptado)

Ingredientes da massa:
250 g de manteiga sem sal
150 g de açúcar mascavo
2 ovos médios batidos
175 ml de glicose de milho
2 colheres de chá de gengibre em pó
650 g de farinha de trigo
2 c.s. Bicarbonato de sódio
Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme. Adicione os ovos, a glicose, o gengibre, o bicarbonato e metade da farinha. Junte o restante da farinha e bata até formar uma bola. Embrulhe em filme de PVC e deixe esfriar por 30 minutos. Corte os moldes. Eu confesso que não sou boa de fazer moldes bonitinhos desenhados pra pôr aqui, mas não é difícil fazê-los. Eu peguei uma folha grossa de papel vegetal e fiz 3 moldes: o da frente da casa (que é o mesmo dos fundos, excetuando a porta), o das paredes laterais e o do telhado. Depois que cortava ao redor é que – a mão livre – cortava porta e janelas.
Continuando….preaqueça o forno a 180 graus. Abra a massa, com o cuidado de no fundo ter o próprio papel manteiga que irá forrar a fôrma. Assim, quando cortar as peças, você não precisará deslocar a massa pra outro lugar e correr o SÉRIO risco de quebrar. Vai por mim, eu tentei isso. Kkkkk
Leve as peças já cortadas ao forno até dourar um pouco (cerca de 15 minutos). Deixe esfriar por 10 minutos, depois asse por 12 minutos. Esfrie e reserve.
Agora, a receita diz pra bater 1 gema com 225 g de açúcar glacê peneirado para usar como “argamassa” pra unir as partes. Não fiz isso, porque julguei que o glacê normal já daria a liga necessária. Só que, no meu caso, a casinha descolou depois de umas 5 horas. Foi uma pena! Por isso mesmo e sabendo que a função da gema é realmente de dar a “liga”, façam o que a receita manda, ok?
E agora, depois de tudo bonitinho, é só soltar a imaginação. Peguei umas ideias de decoração na net e saí juntando tudo o que havia gostado. Eu colocava o glacê e Samara decorava do jeito que quisesse. Ah, a massa rendeu bastante. Deu até pra fazer os bonequinhos de gingerbread, mas esqueci de fotografá-los. 🙁
casinha gingerbread
P.S.: dá pra notar que, nessa hora, a casinha já estava despencando, né? Olha a minha mão tentando segurar o empreendimento pra registrar com pelo menos uma foto. Kkkkkkkk
Xiii, deu errado! Casinha gingerbread caindo
É isso! Mãe orgulhosa da filhota decoradora arquiteta e frustrada por eu não ter sido uma boa engenheira. Tem nada não, gingerbread pode ser feito qualquer dia….kkkkkk
Até mais!
Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Tutorial de lata (e biscoito) pra presente

Nem havia comentado, mas no mês passado fui visitar meu “painho” (como nós daqui gostamos de chamar os pais), que mora no interior do Ceará. Já havia mais de 3 anos que eu não visitava as terras cearenses, de gente hospitaleira e de coração grande. Aliás, desde o início da odisseia do joelho podre, só viajei pra Gramado… e somente por 4 dias. Só! Tava merecendo uns dias pra matar a saudade do meu genitor, não acham? Assim, contando com uma tripulação de 6 adultos, 2 crianças, uma Land Rover e um Uno (e eu reinei no banco traseiro dele, só pra mim, pra que pudesse esticar as pernas e não cansar o joelhinho odioso querido), partimos pra Camocim/CE.

Mas, voltemos a fita que eu vou explicar aonde quero chegar. Claro que eu ia levar algo pra painho…algo que eu tivesse feito com minhas mãozinhas que a terra haverá de comer (afff, como tô enrolando hoje)…pra ele lembrar da filhinha chata amada que ele tem. Como quase sempre, a escolha foi fazer biscoitinhos amanteigados pra levar, pois ele ama. Normalmente, compro latinhas já todas fru-fru em lojas de artigos para festa, mas andava sem tempo pra ir a uma. Olhei pra o que tinha em casa e… eureca!!!! Como não havia pensado nisso antes?! As latas de biscoito importado que guardei para pintar depois…e esse depois nunca chegava.

Pois bem! Pra encurtar a conversa, resolvi pintar as latas com pátina envelhecido. Super simples! Vamos fazer comigo? Legal. Precisaremos de lixa (usei a lixa ferro), primer, tintas acrílicas e fita de cetim.

receita biscoitos amanteigados com goiabada

Lixe as latas pra prepará-las pra receber o primer. Espere secar por cerca de meia hora. Aplique duas demãos. Depois pinte a lata de tinta branca (usei uma cor de pele pra dar um “ar” mais envelhecido) de fundo. Espere secar e aplique uma demão de tinta diluída em água na cor escolhida, com o cuidado para deixar sempre o branco aparecer. Aguarde 15 minutos pra lixar a peça no sentido horizontal. É importante que você atente pra o fato de que umas áreas deverão ficar mais envelhecidas do que outras, até mesmo deixando a parte de alumínio aparecer. Para isso, é só aplicar força maior naquelas. Espere secar e aplique uma demão tinta na cor amarelo palha (beeeeeeem diluída em água), só pra deixar a peça com aspecto um pouco amarelado. Espere secar pra aplicar verniz em spray. Finalize com a delicadeza de uma fitinha cetim amarrada ao redor.

Para fazer o biscoito, usei a receita que a Claudinha, do Feito a Mão, compartilhou há algum tempo. Aliás, esta receita é mais que testada e aprovada, a queridinha do momento entre as milhares de receitas de biscoitos que testo (e nem posto aqui pra não ficar parecendo que só como biscoito hahaha). Espia só como é fácil:

Biscoitinho do Clau

biscoitos amanteigados com goiabada
1 caixa de Arrozina
200 g de farinha de trigo
150 g de açúcar refinado
250g de margarina

Misture tudo e faça bolinhas, achate-as e coloque no meio um pedacinho de goiabada. Se preferir, corte com um cortador que fica mais “cute”. Leve ao forno pré-aquecido, em fôrma untada e enfarinhada (ou somente forrada com papel manteiga) por cerca de 15 minutos. Retire quando as beiradas começarem a dourar, ponha em cima de uma grelha para esfriar e polvilhe açúcar de confeiteiro por cima. Pronto! Facim, né?

Depois disso tudo vem a pergunta que não quer calar:
– E painho gostou?
– Of course, mininu, of course!

biscoitos amanteigados com goiabada

Até mais!

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Dia dos Pais: padronagem, flores de papel e devaneios para um dia especial

Por que, hein? Às vezes eu me pego perguntando por que não mais resisto a fazer festinhas comemorativas aqui em casa. Poderia estar descansando….poderia estar lendo….poderia estar roubando….mas não! Estou confeccionando os preparativos para o dia dos pais versão 2012 daqui de casa. Culpa de quem? Do blog, claro! Depois que caí nessa rede, minha vida de peixe nunca mais foi a mesma. Preocupação em tirar fotinhas de quase tudo que faço e uma lista sem-fim de ideias pra pôr em prática nos próximos 59 anos. Enfim, vida de blogueira é uma equaçãozinha mais ou menos assim:
+ ludicidade + trabalho + afeto – ociosidade – horas de sono = 2 x (alegria x satisfação) / todos


Questionamentos e devaneios terminados, vamo que vamo ao que interessa.

Bom, já havia encasquetado que nesse ano teria o tal do charuto de chocolate na festa. Acho um charme charutinho de mentirinha (e SÓ DE MENTIRINHA). Uma coisa leva a outra e acabei vendo aqui uns rótulos retrô de cerveja para o dia dos pais, toppers de cupcake e bandeirolas – tudo pra inglês nenhum botar defeito e que casava muito bem com os charutinhos.

untitled-design-18

Daí veio outra ideia: tomar as cajuínas todas que tenho em casa e desocupar as garrafinhas pra colocar nelas o rótulo personalizado e enchê-las de baganas. Exceto pela overdose de cajuína, o resultado ficou ótimo!

untitled-design-20

Então, resumidamente, vamos ao check-list da festa:

Tema – pai retrô
Paleta de cores – branco, marrom, laranja e azul
Elementos decorativos – garrafas e tampinhas de cerveja, latas de conserva, caixote (não sei se irei achar), moldura de quadro, porta-retratos preto, bigodes artificiais (claro, né? Dããã) e cravos de papel.
Comidinhas – surpresinha


Quanto aos cravos de papel, a técnica pra fazê-los é a mesma dos pompons de papel seda. Caso não saiba, clique aqui. A única diferença está no tamanho da folha. Se para um pompom você utiliza de 8 a 10 folhas, para um cravo é necessário somente 1 folha de papel seda dobrada e cortada quatro vezes. Simples e econômico assim!

untitled-design-22

Depois é só dobrar em forma de leque, dar um nó com barbante no meio e abrir as folhas. Detalhe: deixe sempre uma folha de cada lado sem abrir, pois será utilizada como caule e dará suporte ao encaixe no galho. Entendeu não? Nem eu! Então, como já disse Jack, vamos por partes!
untitled-design-23
Abre as folhinhas sempre direcionando pra cima. Afinal, queremos um formato de flor e não de bola. Nas duas últimas folhas, una-as e as enrosque para que não soltem. Depois, corre atrás de gravetos secos (ou use palitos de churrasco recobertos por canudos) e faça a linda união dos dois com uma fita adesiva. P.S.: usei da escura para que ficasse mais “tom sobre tom”. De todo modo, sugiro pintar o caule todo depois de pronto com a cor preferida. É, eu disse preferida. Não precisa ser verde somente. Dar um plus no colorido nunca matou ninguém, vai!

 

untitled-design-21



O vasinho já ficou prontinho. Rústico da lata + delicadeza da fita = vasinho meigo. É, eu sei…mais equações…hoje não tô muito bem da cabeça….

Espero que tenham gostado do mimo! Facim, facim de fazer.

Beijos x 10 (desculpa, não resisti kkkkkk)

 

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Biscoitos caracol

untitled-design-26

Olá!

Hoje vim compartilhar a receita dos biscoitos caracol, que são lindinhos de viver e que levei para o chá de baby de uma grande amiga. Gertrudes (minha galinha preferida) provou e aprovou. Receita original da Martha Stewart, mas que vi no site The Cookie Shop, da Paula Cinini. Maravilhosa, cheia de ideias divertidas e que gosta de DESconstruir a gastronomia, seu site deve ser parada obrigatória para todo “blogueirocook” que se preze. Vamos à receita:

Biscoitos caracol (receitinha tirada daqui)

untitled-design-25

Ingredientes:
1 1/2 (250g) de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
1 3/4 xíc. de açúcar
2 ovos ligeiramente batidos, mais 1 clara separada
1 colher de chá de sal
2/3 xíc. de leite
1 colher de sopa de baunilha
5 xícaras de farinha de trigo
1/4 xíc. da cacau em pó (eu não quis usar chocolate, então substitui por corante azul e laranja, dividindo a massa em 3 partes).

 

Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até ficar cremoso e fofo. Junte os ovos e o sal – bata para combinar.
Junte o leite e a baunilha e reduza a velocidade da batedeira. Junte a farinha de trigo aos poucos até ficar homogêneo – não precisa bater muito.
Divida a massa em duas partes. Junte o cacau (ou corante) à metade da massa e misture na batedeira ou à mão.
Abra a massa de chocolate sobre um papel manteiga polvilhado com farinha até ficar com 0,5cm de espessura. Corte retângulos de 20 X 15cm e leve a massa à geladeira dentro de uma assadeira. Sobre outra folha de papel manteiga, abra a massa de baunilha e corte retângulos do mesmo tamanho da massa de chocolate. Leve à geladeira para firmar um pouco, uns 10 minutos.
Pincele a clara de ovo de leve sobre cada retângulo e coloque os de baunilha sobre os de chocolate (ou pigmentados). Começando pelo lado maior, enrole como rocambole, bem apertado. Leve à geladeira por 20 minutos. Corte em fatias e asse em forno preaquecido a 180°C em assadeiras forradas de papel manteiga, mais ou menos 15 minutos. Deixe esfriar um pouquinho e passe para uma grade para esfriar completamente.
Guarde em potes tampados por até 1 semana.
untitled-design-27

Espero que aprecie a fornada!

Beijo!

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.

Receita do bolo tradicional: com damasco, pêssego, doce de leite e nozes

bolo tradicional

Oiê!

Descobri que sou mais boba do que pensava. Andava procurando “A” receita de bolo mais deliciosa do mundo, aquele tipo de torta que se transforma em receita tradicional da família,…que todo mundo pede para fazê-la nos eventos especiais… que quando os filhos ou marido voltam de uma longa viagem vêm com a boca cheia de saliva e a certeza de que vão encontrar Aquele bolo?! Pois é, sou boba assim.

Notei com isso a necessidade que temos de “tradição“. Como é legal essa coisa de tradição de família passada geração a geração! Amo isso! E como na minha não foi mantida nenhuma a não ser o fato de que quase todas as mulheres sabem fazer sapatinhos de tricô (ok, nunca tive paciência pra isso! Não me façam encomendas! kkk), ando tentando criar algumas tradições familiares que espero que perdurem de fato. Uma delas é a receita do cookinho – um biscoito com gotas de chocolate e castanhas.

Mas, voltando à história do bolo, outro dia folheando a primeira revista de Ana Maria Braga, achei A receita. Meu coração palpitou, tive de conter minha euforia e (só por causa da receita) comprei a revista. Já saí espalhando aos quatro cantos do mundo que faria o bolo tradicional no Dia das Mães. Sou cômica! Bolo Tradicional que nunca havia sido nem visto?! Só eu mesma! hahaha

Então, tratei de comprar os ingredientes (caaaaaros!) para que pudesse fazê-lo. A receita é do chef  Flávio Federico, mas fiz adaptação na massa, pois a dele realmente não deu certo!

Bolo Tradicional (receita adaptada)

bolo tradicional

Massa
12 ovos inteiros em temperatura ambiente
3 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 c.s. fermento em pó
1 xícara (chá) de açúcar
1 c.s. rasa de canela em pó
6 c.s. de manteiga derretida

Preparei a massa com metade dos ingredientes e fiz duas vezes, pois acho que consigo um melhor resultado, mas isso é bem pessoal.
Bata os ovos com o açúcar na batedeira por 10 minutos. Incorpore a farinha e a canela misturadas e peneiradas. acrescente a a manteiga. Espalhe em um aro ou fôrma de bolo de 25×7 cm já untado e polvilhado. Preaqueça o forno por 30 minutos e asse o bolo a 190° C por 30 a 35 minutos.

Recheio 1
2 xícaras (chá) de damascos picados
400 ml de suco de laranja
2 xícara (chá) de pêssegos em calda picados e escorridos
6 c.s. de manteiga
1/2 xícara (chá) de açúcar
Ferva o suco de laranja, coloque sobre os damascos, deixe hidratar por 12 horas e escorra. Derreta a manteiga em uma frigideira, acrescente o damasco, o pêssego e o açúcar e cozinhe até secar.

Recheio 2
1 xícara (chá) + 5 c.s. de açúcar
200 g de nozes picadas
800 g de doce de leite
Faça um caramelo com o açúcar, acrescente as nozes, mexa bem e despeje sobre uma superfície untada ou tapete de silicone (fiz neste e foi super fácil de manusear). Amasse com um rolo untado até ficar bem fino. Deixe esfriar, reserve um pedaço para enfeitar o bolo e coloque o restante dentro de um saco plástico e quebre no tamanho desejado. Misture com o doce de leite.

Cobertura de merengue suíço
5 claras de ovos
1 xícara (chá) + 8 c.s. de açúcar
1 pitada de sal
Misture bem os ingredientes e leve ao fogo ou banho-maria, batendo até que os grãos do açúcar derretam. Você não vai mais ouvir os grãos raspando na panela. Leve à batedeira em velocidade alta por 1 minuto e depois média por 3 a 4 minutos.

Montagem e decoração
Corte o bolo já frio em quatro camadas iguais. Cubra o interior de um aro para montagem de bolos com filme de PVC. Isso vai facilitar a sua vida na hora de desenformar!

Prepare uma calda feita com 200 ml de água fervida e 1/2 xícara (chá) de açúcar. Deixe esfriar e acrescente 100 ml de uísque (eu coloquei 50 ml de rum, que era o que tinha). Coloque um corte do bolo no aro e regue com a calda. Espalhe metade do recheio 2.

Coloque outra camada do bolo por cima, reque com a calda e coloque todo o recheio 1. Repita a operação com mais uma camada do recheio 2 e só então coloque a última parte do bolo. Regue com a calda, cubra com um pedaço de filme de PVC, coloque algo para fazer peso – pode ser uma assadeira – e leve à geladeira por ao menos 6 horas.

Desenforme virando o bolo, pois o interessante é que a parte do fundo fique bem retinha para ser decorada.
Cubra o bolo com o merengue suíço e queime com um maçarico em cima para dar um “ar” dourado em cima (como eu não tenho maçarico, deixei toda branquinha). Decore a gosto.

Eu sei, eu sei… é um bolo demorado e difícil um tantinho de ser feito. Mas o resultado é maravilhoso! O sabor é inusitado e lembra (segundo a minha cunhada) o sabor de um bolo de flores. Como a dificuldade de uma receita não me desestimula, garanto que esse bolo realmente será o bolo tradicional da família Ritzel. Olha só como o bichinho é apetitoso…

bolo tradicional

Beijo!

Por:
Passei muito tempo da minha vida querendo entender quem eu era, pois fazia muitas coisas diferentes e aparentemente desconexas. Hoje, sou bancária, bailarina, atriz (nas horas vagas), gosto de pintar, cozinhar, fazer scrap e artes manuais em geral, sou mãe, esposa e cristã. Coisas que se entendem entre si, pois esta sou eu. Espero que esse cantinho virtual seja um espaço agradável, como o aroma refrescante do orvalho da manhã ou o cheirinho peculiar do café novinho no fim de tarde. Seja bem vindo(a)! Entre e sinta-se em casa.